Perigosas Estradas

Mostrar / Esconder thumbs

Algumas das rotas mais perigosas do mundo

Quando o assunto é férias pouca gente se preocupa com o percurso até o destino escolhido. Rodas de automóveis há muito tempo já foram substituídas por asas de avião, mas para aqueles que seguem a linha old school e atravessam fronteiras de carro no melhor estilo on the road, uma estrada segura é fundamental. Em certas rotas dirigir com tranquilidade é uma tarefa quase impossível, mas se o motorista quiser viver para contar história no fim do caminho é melhor ter calma na hora de atravessar as estradas mais perigosas do mundo.

GUOLIANG (CHINA)


Um túnel com janelas em uma estrada nas montanhas. A princípio a ideia parece interessante e até divertida, mas as condições precárias da estrada de Guoliang na China causaram a morte de muita gente durante a sua construção em meados dos anos 70, até hoje viajantes se acidentam e morrem pelas suas curvas estreitas nas alturas das montanhas Taihang. O túnel de 1.200 metros de comprimento e apenas 4 metros de largura foi construído em apenas 5 anos pelos moradores do isolado vilarejo de Guoliang, e a maioria de seus turistas foi parar lá por querer conhecer a estrada, e não a cidade.
 
RUTA 5: CAMINHO DE ARICA A IQUIQUE (CHILE)
 

A primeira vista ela parece inofensiva, mas essa estrada no Chile cruza vales profundos com ventos absurdamente fortes no deserto do Atacama, sua paisagem é tão isolada e deserta que o mais assombroso para os motoristas são as alucinações causadas pela solidão. A Ruta 5 é uma parte da rodovia Pan-Americana que corta o País. No caminho de Arica a Iquique são 300 quilômetros de puro nada, mas a monotonia é frequentemente interrompida por intensas e perigosas tempestades de areia
 
TROLLSTIGEN (NORUEGA)
 

A visão panorâmica de Trollstigen lembra uma aranha tecendo sua teia. A estrada que sobe as montanhas de Rauma, na Noruega, liga as cidades de Åndalsnes e Valldal. São 9º de inclinação e onze curvas apertadas que se debruçam sobre a montanha íngreme. Antigamente o trajeto era feito exclusivamente para visitas aos vilarejos isolados do País, mas hoje a rota é atração turística, no topo esbranquiçado da montanha há um amplo parque com trilhas e cachoeiras, uma ótima recompensa pela aventura até lá em cima. Veículos com mais de 12 metros não podem atravessar a estrada (até por que as curvas são tão estreitas que fica difícil imaginar um caminhão realizando alguma delas).
 
ESTRADA PARA YAKUSK (RÚSSIA)
 

A Estrada Siberiana para Yakutsk foi construída em cima de uma plataforma de gelo. Pesadas camadas de terra foram lançadas sobre ela para dar firmeza ao percurso, e mesmo assim as casas e as lojas nas redondezas ficam em cima de pilares de concreto sobre o solo congelado. Por causa do gelo a pista não é pavimentada e a lama decorrente das camadas de terra torna a viagem ainda mais complicada. Trafegar por lá entre os meses de julho e agosto é impossível, a visibilidade da estrada é completamente comprometida durante os meses de inverno por causa da neve pesada. 
 
Lendas urbanas contam que no quilômetro 30 há uma estação subterrânea de gás. Os viajantes que se aventuram nessa região são subliminarmente afetados pela ação dos gases misteriosos e acabam dormindo ao volante. Alguns dos motoristas envolvidos em acidentes nessa área afirmam não se lembrar dos momentos anteriores à ele e por isso acreditam na lenda...
 
JAMES DALTON HIGHWAY (ALASCA)
 

O Alasca já é isolado e misterioso por si só, mas piora muito em uma estrada de cascalho com destino ao extremo norte do Estado. A James Dalton é a principal rota de abastecimento dos campos de petróleo na isolada e congelante Prudhoe Bay, mas mesmo assim não recebe nenhum recurso para melhorar suas condições. A única construção no caminho é um oleoduto com 3 mil quilômetros que atravessa o Rio Yukon, a neblina alaranjada cobre a pista escorregadia e pedras pesadas tem o inconveniente hábito de bater sobre os pára-brisas dos caminhões. 
 
Os fãs de reality shows devem reconhece-la do Ice Road Truckers, antigo programa do History Channel
 
SICHUAN-TIBET (CHINA)
 

Outra estrada no território chinês também não é muito agradável aos acrofóbicos. A Sichuan-Tibet foi construída em 1950 e tem 2.412 km de extensão sobre 14 montanhas a cinco mil metros de altitude. Ela atravessa rios famosos como Dadu, Jinsha, Nujiang e Lantsang, e frequentemente é atingida por deslizamentos e avalanches de pedra. Em 2008 uma forte chuva causou a erosão do leito da estrada e em dias de intensa nevasca, mais de 160 quilômetros da A Sichuan-Tibet ficam cobertos por uma espessura de até um metro de neve. 
 
Esse ano o governo da China anunciou a construção de um túnel com sete quilômetros de extensão nessa estrada, o plano é reduzir o nível de acidentes e melhorar as condições de segurança da Sichuan-Tibet. Enquanto isso, boa sorte!
 
ESTRADA DA MORTE - YUNGAS ROAD (BOLÍVIA)
 

O perigo mais comum e evidente é a altura. Quando uma estrada de serra é extremamente elevada, com desníveis de até 3.600m e abismos vertiginosos de 800m, é impossível controlar o frio na barriga. Mas a situação piora ao unir altura com zero de asfaltamento, irregularidades no solo, vegetação escorregadia, largura extremamente estreita e quedas d’agua no meio da pista. 
 
A Estrada da Morte liga o pequeno vilarejo de Coroico, na Amazônia boliviana, à capital La Paz. Desde 1995 ela é considerada oficialmente a estrada mais perigosa do planeta, cerca de 250 viajantes morrem por ano entre o quilômetro 61 e o 69. Em 2006 uma nova estrada bem mais segura e pavimentada foi aberta para o percurso antes exclusivo da Yungas Road, hoje a Estrada da Morte é um presente para os bikers e viajantes exploradores de suas trilhas e paisagens, que apesar de apavorantes são incríveis. 
 
BR 381 (BRASIL)
 

No ano passado foram registradas 121 mortes em 2.459 acidentes no trecho Belo Horizonte-Governador Valadares, com 1.200km de extensão. O problema na BR-381 não é altitude chocante, nevoeiros, tempestades de areia e nem blocos de neve, o principal perigo dessa estrada brasileira é a quantidade de curvas unida ao péssimo asfaltamento e ao imenso número de motoristas imprudentes.  
 
A topografia acidentada e o desnível na pista apavoram os motoristas que passam pelo trecho da Rodovia da Morte, há muitas arvores próximas ao acostamento e a maior parte da pista entre Belo Horizonte e Governador Valadares não é duplicada, isso aumenta absurdamente os acidentes por colisão frontal de veículos. O projeto de duplicação da BR-381 no trecho de Minas Gerais está em fase de aprovação, e inclui novas pontes, pistas e viadutos. 
 
Crédito das imagens: Divulgação.
 
Gostou? Curta o Lugares no Mundo no facebook ou nos siga no twitter para conhecer o resto do mundo!
Última atualização em 13/10/2012 as 20h44

Thomas Iacocca

esportes, praia, noite

Avaliações

Dê a sua opinião.

1 votos

Galerias.

Confira esta seleção de matérias e destinos com imagens incríveis.

Ver todos