Sunset Parties

Mostrar / Esconder thumbs

Conheça os motivos para trocar a noite pela tarde

De um tempo para cá, cada vez mais as pessoas mudam seu horário de festa. Ao invés das tradicionais noitadas, as festas realizadas no fim de tarde já dão sinais que vieram para ficar. Muito mais descontraídas, realizadas em lugares onde é possível conversar e sem os fenômenos over de balada como champanhe spray e table dancing, que realmente já deram o que tinham que dar, as Sunset Parties oferecem qualidade e fazem o dia parecer mais longo, o sonho maior em tempos modernos. 

Surgido na Europa e Estados Unidos, principalmente em New York, o conceito de Sunset Party é realizar uma festa tão badalada como as que acontecem noite à fora mas em um ambiente mais descolado e descontraído, com início à tarde e fim no começo da noite, no horário em que normalmente se está saindo de casa para algum lugar. Em geral, às festas são realizadas em lugares abertos e a transição da luz do dia para à noite dá uma sensação de mudança cronológica bem interessante durante a festa, diferentemente das casas noturnas fechadas onde, no momento em que olhamos para o relógio ou celular e nos deparamos com o horário quase matinal, o pensamento que passa na cabeça é: “Mas eu acabei de chegar?”, o que faz muitas pessoas voltarem desnorteadas para casa. 
 
Uma vantagem ou desvantagem de serem realizadas em lugares abertos é o fato de que os fumantes não precisam se separar dos demais. Para os fumantes isso é ótimo já que irá poupá-los de encarar uma longa espera na fila para a área de fumantes e eles podem também aproveitar a festa da mesma forma que os demais, e não ouvindo o som abafado da música na parte de fora da balada. Já para os não-fumantes isso talvez seja um pouco incômodo, mas pelo menos, não voltarão para casa totalmente defumados e sentindo cheiro de cigarro em suas roupas mesmo depois de 3 lavagens, ou em seu cabelo, independente das horas de banho e quantidade de shampoo utilizada. 
 
Perguntamos para o Felipe Aversa da agência Haute, que realiza a festa Santa Clara, para explicar esse movimento que tem trazido os eventos vespertinos para o Brasil: “A ideia surgiu depois de um estudo que fizemos com nosso público e percebemos que hoje a aceitação por eventos vespertinos é enorme. Nos finais de semana, na parte da tarde não há muita coisa pra fazer a não ser shoppings e cinemas.” 
 
Nas sextas-feiras as Sunset Parties não dão muito certo, afinal a maioria das pessoas trabalham, mas o domingo tão caracterizado como o dia de ficar inerte em casa, ideal para assistir aos jogos de futebol e fazer no máximo um churrasco, ganha agora uma nova possibilidade. Dá para aproveitar uma festa tão boa quanto as de sexta ou sábado e ainda garantir uma boa noite de sono para trabalhar na segunda-feira. Mas no caso de serem realizadas nos outros dias, como sexta e sábado ainda é posível prolongar a diversão saindo de uma festa e indo para outra tradicional, que irá acabar na madrugada. É um esquenta pra lá de estiloso.
 
Outro diferencial muito legal das festas é que o lugar onde são realizadas mudam com frequência, ou são sempre inéditos. Alguns lugares já estão realizando as festas da tarde em lugares fixos, mas essa não é a regra. Os realizadores procuram sempre buscar lugares inusitados, no mesmo estilo que os Pop – Up Clubs realizam. O ideal é buscar um ambiente luxuoso-descolado, que não seja totalmente rústico como uma festa em salão de prédio ou hotel e que também não seja elegante demais afinal é um evento diurno. No caso de serem realizadas em hotéis, ao invés dos tradicionais salões, são escolhidos os decks das piscina e se realiza uma pool party. Apesar de em muitos casos isso não ocorrer, as mulheres tem a enorme vantagem de poderem se livrar dos saltos, apesar de muitas não fazê-lo e a maquiagem também é mais leve ao contrário do batom escuro e olhos carregados adequados a escuridão das baladas.  
 
E para os que sentem a agonia claustrofóbica de se estar em uma casa noturna, com 5 ambientes e a sensação de ter mil pessoas em cada um,  mais uma boa nova em relação as Sunset Parties. Em geral os convites vendidos são bem limitados, não a ponto de deixar o lugar vazio, mas nem de longe vira um tumulto de gente, daqueles que quando você perde um amigo, não consegue encontrar mais. Então o clima é bastante intimista e muitas vezes mais parece que você está na festa de um conhecido seu. 
 
Conheça um pouco mais de algumas Sunset Parties que estão rolando por em São Paulo:
 
Santa Clara – Com algumas mesinhas espalhados em seu centro a ideia aqui é fazer um samba boêmio das antigas. Mas ao invés do clima de boteco, por aqui o encontro mais parece um bar-balada pé-limpo, como são conhecidas as casa da Lapa, no Rio de Janeiro.  No dia 24 de setembro em São Paulo, rolou um verdadeiro samba de laje, com o detalhe que a laje era a da loja da Mini Cooper em Pinheiros, e a música animada em meio aos simpáticos carros foi das 15 às 22 horas.
   
Cleriquot – Outra realização esporádica de muito glamour. No verão a preferência é ter uma piscina como cenário, e no inverno, a festa mais recente foi em um charmoso casarão antigo do Ipiranga, o Palácio dos Cedros, mas essa disposição não é regra. Apesar de não termos citado anteriormente, vale deixar a nota aqui. Pool Party e roupas de banho não combinam. Deixe a sua em casa. 
 
Club A - Socialites, empresários e "jet setters" também podem curtir sua baladinha antes do pôr do sol. Um deque com piscina e móveis com decoração "tribal-chique" pede um espumante para brindar o fim de tarde ao som de samba com banda ao vivo, além de um DJ tocando house
 
Puma Social Club - Uma bela arquitetura e uma fachada de vidro são a marca do bar-balada, que abre a partir das 17h. Para aproveitar o finzinho da tarde, vale a pena pedir um drinque e curtir o som alternativo que costuma dominar os pick-ups. Rock, electro e pitadas de black sempre têm vez. Para entreter os modernos, a casa oferece jogos -há mesa de sinuca, pingue-pongue, pebolim, além de fliperamas.

 

Voodoohop no Paribar - Clássico botequim paulistano, o Paribar dá um tempo com a tradicional MPB ao vivo, que embala as noites durante a semana, e sedia, mensalmente, uma balada diurna ao ar livre. O projeto é parceria com o coletivo Voodoohop. As festas reúnem principalmente modernos em busca de cerveja gelada e som alternativo (costuma rolar de electro a brasilidades). O agito se estende para a simpática praça na frente do bar, onde a galera não hesita em dançar, paquerar e aproveitar para curtir o fim do dia.

Crédito das imagens: Divulgação

Última atualização em 28/12/2012 as 10h51

Guilherme Guinski

esportes, praia, noite

Avaliações

Dê a sua opinião.

2 votos

Galerias.

Confira esta seleção de matérias e destinos com imagens incríveis.

Ver todos