Madri: Por dentro dos portões do hotelpalácio

Mostrar / Esconder thumbs

Roteiro cultural de luxo inclui obras de Goya, Velazquez e estadia no Ritz

ESPANHA Madri

Que os madrileños sabem aproveitar a vida e que a cidade é rica em arte e história, isso todos sabemos. Mas quando o turista chega à capital espanhola não há quem não se surpreenda com o requinte da cidade e o luxo do hotel Ritz, local escolhido para hospedar comitivas de presidentes, reis e celebridades internacionais.

Durante a ocupação de Muhammed I, um palácio foi construído bem próximo ao rio Manzanares, que os mulçumanos chamavam de “al-Majrit” (fonte d’agua em árabe). Bem próximo a este palácio um povoado chamado al-mudaina desenvolveu-se e o que tinha evoluído de “Majerit” mais tarde transforma-se em Madrid. Em 1085, o rei Alfonso de Castilla conquistou o tal povoado e finalmente no século XV, os mouros foram expulsos da cidade.

Madri e uma cidade de elevado interesse histórico e artístico, portanto prepare-se para caminhar bastante. A cada angulo da cidade proporcionará uma visão mais surpreendente do que a outra. Uma visita ideal deveria começar pela Plaza Mayor, uma praca retangular completamente rodeada de edifícios. Outras praças interessantes são a Plaza de Colón, a Plaza de Santa Ana, a Plaza de España, com os seus monumentos, e a “Puerta del Sol”. Neste local  encontra-se o quilometro zero das estradas espanholas, e também o relógio que faz tradicionalmente a contagem decrescente para a entrada do novo ano. A minha praça favorita e a Plaza de la Cibeles. De uma beleza excepcional, foi construída em 1782 e tem uma escultura representando a deusa Cibele. É nessa praça que os madrileños celebram cada vitoria do time de futebol Real Madrid. Seja durante o dia ou à noite, a visão que se tem da praça excede o clichê “cinematográfico”. Na mesma praça estão os majestosos prédios do Banco de España e o Palacio de las Comunicaciones.

Repare também nas grandes avenidas como a Gran Via com as suas lojas e teatros, a calle de Alcalá com seus prédios históricos e a rua Ortega y Gasset com as butiques espanholas Loewe, Antonio Miró e Adolfo Dominguez. Percorra com calma o Paseo de la Castellana passando por Paseo de Recoletos até chegar ao Paseo del Prado.

No seu roteiro devem absolutamente estar incluídos três museus. O primeiro deles é o Museo Thyssen-Bornemisza. Dos três é o menor e menos turístico, mas com peças únicas.  É um museu localizado dentro do Palacio de Villahermosa. O governo espanhol foi responsável pela maior aquisição, feita em 1993, quando adquiriu as obras de arte da coleção privada da família Thyssen-Bornemisza. A espanhola Carmen Cervera foi esposa do Barão Hans Heinrich Thyssen-Bornemisza, que enriqueceu durante a segunda guerra mundial vendendo aço e ferro para a Alemanha hitlerista. 700 quadros vieram da Villa Favorita, em Lugano, na Suíça, quando o Barão morreu, em 2002. As peças foram alugadas para a Espanha por 25 anos. O museu conta com um acervo que conta com arte desde o século XIII ao século XX. Algumas das obras importantes são: Venus e Cupido de Rubens, Mata Mua de Paul Gauguin, Les Vessenots de Vincent van Gogh, as dancarinas de Edgar Degas e Piazza di San Marco de Canaletto.
O segundo é o Museo Reina Sofia, de arte moderna, ou estão preciosidades como o Guernica, de Picasso, obras de Dalí e esculturas de Alexander Calder, entre outros, e, obviamente, o Museo do Prado com grandes pintores nacionais como Velazquez, Goya e El Greco. Preste bem atenção nas pinturas de personagens ilustres do pintor El Greco. Não importa a sua posição diante as pecas, as figuras estão sempre lhe seguindo com o olhar. Uma outra obra que merece atenção é a pintura Las meninas, de Diego Velazquez, representando a familia do rei Felipe IV da Espanha. Nesse quadro, Velazquez consegue resolver o problema de espaço e de luz graças a utilização de um “espelho” dentro do próprio quadro que reflete a figura de outros personagens. A utilização de novas cores também servira como ajuda na identificação dos personagens da família real. Recomendo marcar a visita com bastante antecedência para evitar filas, que costumam ser enormes.

Para quem gosta de tauromaquia, a Plaza de Toros de las Ventas é uma ótima opção. Não deixe de visitar os parques e jardins como o Parque del Retiro, Casa de Campo, o Jardim Botânico e os Jardins de Sabatini atrás da Catedral de la Almudena e do Palacio Real. Entre num dos vários bares de tapas, como o Museu do Presunto ou no maravilhoso Mercado de San Miguel, um mercado todo envidraçado onde se come excelentes pratos baseados em frutos-do-mar, os melhores vinhos espanhóis e deliciosas e autênticas “tapas”. Esse é o lugar favorito da designer venezuelana Carolina Herrera quando visita a filha Carolina Adriana, que vive em Madrí. No final da estada, procure um local não turístico para conferir uma apresentação de dança flamenga ou um espetáculo de opera ou bale no Teatro Real.

Hotel Ritz

O hotel Ritz é uma instituição na historia dos madrileños. Após várias viagens pela Europa, o rei Alfonso XIII notou que faltava na sua cidade um hotel de nível que pudesse hospedar visitantes ilustres ou outros membros das famílias aristocráticas européias. Foi então que comissionou o hoteleiro César Ritz, que já tinha criado o hotel Ritz de Paris, para criar um hotel suntuoso em Madrí. O arquiteto foi Charles Mewes, o mesmo do hotel de Paris, que junto com dois arquitetos espanhóis, Luis de Landecho e Lorenzo Gallego, deveriam transmitir a elegância de outros hotéis-palacio que o rei tinha visitado na Europa. No dia 2 de outubro de 1910, Madrí foi testemunha da abertura de um dos mais belos hotéis do mundo.

O hotel Ritz sempre foi o local de escolha de muitas celebridades. O próprio rei Juan Carlos I quando era jovem ia cortar o cabelo ali. Mais tarde, o rei Juan Carlos I e a rainha Sofia da Grécia viriam ao hotel receber hóspedes de passagem pela cidade, como durante a visita oficial do príncipe Charles e da princesa Diana ou para receber os hospedes do casamento do filho Felipe de Borbon y Grecia, príncipe de Astúrias com a jornalista Doña Letizia Ortiz. O príncipe Rainier e a princesa Grace de Mônaco iniciaram a lua-de-mel no hotel Ritz e continuaram a voltar anos depois. O duque e a duquesa de Windsor, a rainha Noor da Jordania, Margaret Thatcher, Nelson Mandela, Madonna, Paulo Coelho, Sofia Loren, Brad Pitt, Tom Cruise, Carolina Herrera e Tom Ford fazem parte da longa lista de celebres hospedes que ali se hospedam. Durante a visita oficial do presidente da Republica Dominicana, Don Leonel Fernández Reyna, o hotel Ritz foi o ponto de encontro de homens e mulheres de negócios, personalidades do mundo do espetáculo e de varias celebridades que vinham visitá-lo. O hotel Ritz era também o ponto de partida para ir a todas as festas e funções organizadas pelo rei Juan Carlos I e a rainha Sofia para o ilustre visitante e a sua comitiva. Durante esse período, o hotel foi o centro de atenções na imprensa local.

A entrada do lobby é dramática: o hóspede sente-se num mundo diferente, discreto e elegante e, ao mesmo tempo, que emana um ar caloroso e tranquilo, protegendo-os do mundo exterior. Repare no grande lustre de cristal no teto, numa mesa de mogno com uma enorme e  perfumada composição floral, a tapeçaria colorida e de uma escadaria na parte esquerda a entrada. Essa mesma tapeçaria é confeccionada pela “Real Fábrica de Tapices”, dos mesmos artesãos que confeccionaram os tapetes que cobrem o chão e as paredes da Casa Real Espanhola. O lobby e o lugar de encontro principal do hotel com seus belos sofás, 8 colunas dóricas de mármore, relógios antigos, vasos chineses e uma bela escultura da deusa Diana. Neste mesmo lobby, hóspedes podem tomar drinks ou o chá da tarde enquanto escutam um pianista tocar. O hotel em si é pequeno, com somente 6 andares, 137 quartos e 30 suites, individualmente decorados com todos os itens de um hotel 5 estrelas-luxo. Localizado no bairro Salamanca, perto das lojas de luxo na calle Serrano, em frente ao Museu do Prado, próximo da avenida do Museu Thyssen-Bornemisza e a poucos passos do Museu Reina Sofia, o hotel é fabuloso com localização privilegiada.

Apesar de ser um hotel clássico, com os armários revestidos em madeira, roupas de cama em linho irlandês e banheiro em marmore branco com os produtos da casa Bvlgari, o hotel também e perfeitamente equipado para atender ao hóspede moderno. O restaurante Goya é magico: Entrar ali e como se estivesse entrando dentro de uma das salas do Palacio de la Zarzuela. Lustres de cristal, flores por todos os lados, acompanhados por um serviço de prataria e de porcelana e o que o hóspede pode esperar do local. O buffet no café-da-manhã com uma seleção de frutas e queijos espanhóis e o presunto “pata negra” é delicioso. Já o jantar gourmet, com os pratos que mudam constantemente dependendo da época do ano pode ser: carpaccio de carabineros con almendra tostada, aceite de bogavante y crujiente de sésamo, vieiras a la plancha con salsa de fruta de la pasión y perlas de regaliz, merluza en crujiente de pan con néctar de pimiento verde y vinagreta de ibéricos, tierra y mar de presa de Ibéricos y chipirones y aroma de tartufo. Como sobremesa, “soufflé de chocolate con sorbete de sidra”. Tudo acompanhado por vinhos espanhóis como Jose Pariente, verdejo, Rueda, Pujanza 2005 Rioja e Noe Pedro Ximenez. Já o Terrace, de frente ao jardim, funciona como uma extensão do restaurante principal durante o verão até o início do outono. Cadeiras de rattan brancas acentuadas por almofadas azuis-Ritz criam uma atmosfera particular quando o pianista toca músicas gitanas. Uma verdadeira emoção. Uma opção recomendada é a salada de lulas com batatas.

Um dos aspectos interessantes e que muitos funcionários do hotel já estão ali ha mais de 30 anos seguindo uma tradição que o Ritz não é feito só de esplendor, mas também da mistura de serviço impecável, discrição e atenção aos detalhes fazendo com que hospedes regressem anos apos anos. Essa meta nao seria possível ser alcançada sem a dedicação e o amor pela profissão dos que ali trabalham todos os dias.

O hotel Ritz organiza vários pacotes como visita privada com guia aos museus e motorista numa das varias Mercedes-Benz Class S, visita a outras cidades, programa gourmet, ou ainda programa de caça ou festas e recepções nos vários salões. O traslado para o aeroporto e feito também numa das Mercedes-Benz Class S. As diarias no hotel Ritz de Madrid variam de €562 para os quartos classicos a €5.136 para a suite real.

Mais informações:

Hotel Ritz
www.ritzmadrid.com
Plaza de la Lealtad, 5, Madrí – Espanha
Tel.: +34 91 701 67 67

Real Madrid
www.realmadrid.com
Calle Concha Espina, 1, Madrí – Espanha
Tel.: +34 902 31 17 09

Loewe
www.loewe.com
Calle Gran Vía, 8, Madrí – Espanha
Tel.: +34 915 226 815

Antonio Miró
www.antoniomiro.es
Calle de Lagasca, 65, Madrí – Espanha
Tel.: +34 914 260 225

Adolfo Dominguez
www.adolfodominguezshop.com
Calle de José Ortega y Gasset, 4, Madrí – Espanha
Tel.: +34 915 760 084

Museo Thyssen-Bornemisza
www.museothyssen.org
Paseo del Prado, 8, Madrí – Espanha
Tel.: +34 913 690 151

Museo Reina Sofia
www.museoreinasofia.es
Plaza del Emperador Carlos V, s/n, Madrí – Espanha
Tel.: +34 91 774 10 00

Real Jardin Botanico de Madrid
www.rjb.csic.es
Plaza de Murillo, 2, Madrí – Espanha
Tel.: +34 914 203 017

Catedral de la Almudena
http://www.spain.info/conoce/monumentos/index.html?l=es
Calle de Bailén, 8, Madrí – Espanha
Tel.: +34 915 422 200‎

Museo do Prado
www.museodelprado.es
Calle de Ruiz de Alarcón, 23, Madrí – Espanha
Tel.: +34 913 302 800

Mercado de San Miguel
www.mercadodesanmiguel.es
Plaza de San Miguel, Madrí – Espanha
Tel.: +34 915 424 936

Restaurante Goya
www.ritzmadrid.com
Plaza de la Lealtad, 5, Madrí – Espanha (dentro do Ritz)
Tel.: +34 917 016 767

Última atualização em 13/10/2012 as 20h44

Lugares no

esportes, praia, noite

Avaliações

Dê a sua opinião.

0 votos

Galerias.

Confira esta seleção de matérias e destinos com imagens incríveis.

Ver todos