Cidades Históricas, Minas Gerais

Mostrar / Esconder thumbs

Cultura enraizada entre os séculos

Capitania de Minas Gerais. O novo e o velho mundo.  Cultura enraizada entre os séculos. A Inconfidência, o barroco, o Aleijadinho, os escravos, as minas de ouro, Tiradentes... Um pedaço entre o tempo e o espaço, manchado pelos portugueses, pela revolução, pelo sangue...  Conheça as Cidades Históricas de Minas Gerais por Lugares no Mundo.

PARA NÃO CHEGAR SEM SABER NADA
 
Uma breve, muito breve aula de história: Depois de explorar as riquezas naturais do Brasil como se não houvesse amanhã, os portugueses descobriram que havia muito ouro por aqui e a região que não a toa foi batizada de Capitania de Minas Gerais virou o centro econômico do país no final do século XVII.
 
Nos anos seguintes famílias muito ricas se mudaram para lá e por volta de 1750, a maior quantidade de toneladas de ouro foi retirada de seu lugar de origem. Não é exagero dizer que a maior parte do ouro brasileiro foi e está ainda hoje em Portugal. Toda essa movimentação econômica fez as cidades do estado crescerem e se desenvolverem muito e em um lugar onde pessoas ricas moram, tudo que elas querem é conforto e ambientes agradáveis de se ver certo? Em parte sim...as casas coloniais eram lindas e igrejas talhadas com ouro para homenagear os santos (ou os padres que conseguiam favores para os barões) não faltavam. Mas sempre existe a parte escatológica: Curiosidade 1: Naquela época as pessoas nobres que morriam desejavam pelo menos depois de mortos, estar mais próximas do céu e dos santos, então qual o melhor lugar para serem enterradas? Embaixo da igreja! Como pessoas não faltavam e o piso da morada de Deus não era um dos mais impermeáveis, era comum dizer que o cheiro da missa de domingo era digno do inferno e era possível senti-lo por toda a cidade. Curiosidade 2: Entre as várias funções dos escravos haviam os infelizes "tigrados". Explicamos: Diferentemente de hoje onde banheiros de luxo e que esbanjam design são bastante apreciados, naquela época por mais luxuosa que fosse a casa, o banheiro era um pequeno cômodo feito para passar o menor tempo possível. Havia um barril que toda a família utilizava para fazer o que todos fazem e não gostam que seja em público, e para não jogar esse conteúdo pútrido nas ruas inclinadas espalhando a escória humana pela cidade, haviam escravos encarregados de levar esses barris para bem longe e despejá-los em algum córrego ou canto mal amado. Os escravos levavam os barris na cabeça e com os Sol forte, a essência de seus senhores derretia e escorria pelas fendas do recipiente de madeira, deixando os negros listrados literalmente. E você reclamando do seu trabalho no escritório não é...
 
Mas voltando para a história, lugares onde o poder era controlado por poucos, deixavam inconformada a maioria injustiçada e revoltas aconteciam. Quilombos caóticos tiravam o sono dos Senhores, mas entre muitas das brigas e dores de cabeça sem dúvida a mais notável foi a Inconfidência Mineira (que devemos chamar de Conjuração, já que Inconfidência tem um significado de "traição". Escolha o lado que quer defender colonizadores x colônia). Havia a "derrama", uma taxa compulsória que deveria ser paga no caso da cota anual de 100 arrobas (1500kg) de ouro para a Coroa não fosse atingida. A realeza de Portugal não entendia que após anos e anos de exploração intensa, o ouro começou a ficar escasso e os chamados "homens-bons" tinham que rebolar muito para manter os pagamentos em dia. Intelectuais, proprietários rurais e até militares falaram chega! Inspirados nos ideais da Revolução Francesa e na Independência dos Estados Unidos, resolveram que era hora de libertar Minas e o Brasil do abuso português. No calor da briga, sempre tem alguém que dá pra trás, se acovarda, foge do conflito e entrega os colegas, então a revolta acabou fracassando. A parte da nobreza envolvida levou sim uma bela bronca, algumas prisões aqui e ali mas quem foi pego para mostrar o que acontece com meninos desobedientes foi o humilde Joaquim José da Silva Xavier, mais conhecido como Tiradentes. Minerador, dentista, comerciante, um rapaz que fazia quase tudo, virou mártir quando foi executado em praça pública, após a leitura que durou 18 horas da sua sentença.
 
Resumo da ópera e motivo da visita: Um estado com tanta história sempre é fascinante de conhecer, seja pela sua arquitetura ou seu patrimônio artístico. Fazer um roteiro pelas cidades históricas é um programa muito mais do que cultural. "Ah, mas eu vou ficar de saco cheio de ver tanta arte sacra!". Bom, a grande maioria das viagens para a Europa incluem pontos turísticos com alguma conotação religiosa e passar por algumas cidades e não conhecer esses pontos é quase um pecado não religioso, por exemplo a Basílica de São Pedro em Roma ou a Catedral de Westminster em Londres. Independente da religião ou ausência dela, valorize a história nacional.
 
 
Perfeita para fazer compras e comer bem, já que estão presentes os restaurantes mais premiados de Minas, depois de Belo Horizonte. 
 
Clichê obrigatório: Igreja Matriz de Santo Antônio, com seu altar no estilo rococó, e o Chafariz de São José, que trazia água potável de uma nascente a 1 km de distância da cidade. Continua em funcionamento mas não recomendamos o uso.
 
Outras atividades: Para os esportistas, recomendamos ir até a Serra São José para fazer caminhadas e ver as cachoeiras. Para os preguiçosos que querem fazer o passeio mesmo assim, a Cachoeira Bom Despacho é logo no começo da estrada então não requer trilhas. Já a Cachoeira do Mangue oferece, após meia hora de caminhada, a bela vista de piscinas naturais com águas cristalinas. A trilha não é exatamente sinalizada mas dizem por lá que a partir do momento em que se encontra o começo dela, é fácil seguir. Se não confiar nem um pouco no seu senso de direção e de sobrevivência na selva, é possível contar com ajuda de guias para passeios diurnos e noturnos, por cerca de R$40 por pessoa. Opções para todos os gostos. Um dos distritos de Tiradentes, conhecido popularmente como Bichinho é uma ótima pedida para fazer compras, principalmente as que envolvem objetos de metal e artesanato de forma geral. É recomendável ir para lá nos finais de semana já que durante a semana muitas galerias não abrem.
 
Não vá: Passeio de charrete. Não recomendamos. Vergonha alheia total. "Ah, mas eu adoro charretes e cavalos..." não vá, sério.
 
Onde comer: No centro da cidade existe uma quantidade enorme de restaurantes, que não são ruins, de forma alguma, mas são... normais e por preços bem altos. Dá para achar restaurantes maravilhosos e bem mais em conta nas redondezas e o melhor, com porções enormes. Geralmente as meias porções servem tranqüilamente duas pessoas.
 
Pau de Angu Comida deliciosamente caipira em um ambiente rústico muito charmoso.
 
Virada´s do LargoConhecido também como restaurante da Beth, a simpática dona que dá ótimas dicas para seus visitantes. Comida bem servida e um ambiente simples. Não deixem de provar na hora da sobremesa, o sorvete caseiro de queijo com goiabada quente.
 
Ora Pró Nóbis - O nome do restaurante na verdade é uma menção a um vegetal típico da região (que parece espinafre).  Quase todos os lugares da cidade servem o tradicional frango ora pró nóbis e esse restaurante não poderia ser diferente. Uma ótima pedida para vir acompanhada de uma cerveja estupidamente gelada. 
 
Chico Doceiro - Um tanto quanto explicativo, esse senhor de mais de 70 anos de idade é muito simpático e vende doces alucinantemente deliciosos. O top de vendas são os canudinhos de doce de leite, mas acredite opções de pecados calóricos não faltam.
 
Onde ficar:
 
Pousada do Ó Muito prática por estar localizada no centro histórico. Simples e aconchegante, bem no estilo mineiro. Um ótimo lugar para apreciar um belo café-da-manhã com a vista da Serra de São José.
 
Pousada d´Oleo de Guignard - Um pouco escondida no meio do matagal que a cerca. A pousada fica próxima à estação da Maria-Fumaça que sempre apita no fim da tarde, se isso é bom ou ruim você decide! Com um estilo rúsitco, todos os ambientes parecem pertencer à uma antiga fazenda. Para quem gosta de viajar e não tem onde deixar o gato ou cachorro, saiba que a pousada é pet-friendly e seu mascote pode te acompanhar nas aventuras pela cidade.
 
Pousada Pequena Tiradentes - De pequena apenas o nome, já que se trata de uma pousada muito luxuosa. Quase toda a mobília é exclusiva, feita por artesãos locais. Se você gostar de alguma peça, pode conversar na recepção o que deve fazer para chamá-la de sua. 
 
 
Para chegar a cidade de Tancredo Neves é só pegar a Maria-Fumaça em Tiradentes, um passeio muito gostoso e com uma vista muito bonita. O centro histórico é iluminado por lampiões a noite, muito charmoso.
 
Clichê obrigatório: Igreja de São Francisco de Assis, com apresentações de música sacra barroca nas missas de domingo, a Catedral de Nossa Senhora do Pilar e a Igreja de Nossa Senhora das Mercês, que toma conta de uma mina de ouro, já que foi construída em cima dela.
 
Outros Lugares: Na cidadezinha é possível ser radical, é só ir na Serra do Lenheiro, local onde o 11º  Batalhão de Infantaria realiza seus treinos de técnicas verticais, saltando de rochedos com toda a parafernália necessária para fazê-lo. Por lá tem também um sítio arqueológico onde dá para ver pinturas rupestres de cerca de 6 a 9 mil anos atrás. Por fim uma lenda: Existe uma escultura de um rosto feminino em uma pedra que dizem ter sido a homenagem de um escravo que se apaixonou pela filha de seu senhor. Como o amor era proibido, após fazer a escultura o escravo se suicidou lá mesmo. 
O museu da FEB (Força Expedicionária Brasileira) conta com os uniformes e armas dos soldados que participaram da Segunda Guerra Mundial.
 
Onde comer: Comida típica mineira continua sendo a recomendação geral (apesar de que toda comida feita em Minas é mineira certo?), mas a cidade conta com várias opções de culinária internacional.
 
Quinto do Ouro - Apesar do nome que nos remete ao antigo tributo, o restaurante conceituadíssimo possui preços justos para os sabores servidos.
 
Yussef -  Uma casa aconchegante com paredes coloridas e velas nas mesas. Todos os pratos da cozinha síria podem ser, e muito, apreciados por lá.
 
Cantina do Ítalo: Para quem não consegue ficar longe de uma bela massa.
 
Onde ficar
 
Garden Hill Small Resort - Ideal para quem não abre mão do conforto de hotéis moderninhos e precisa de uma hospedagem que tenha mimos como campo de golfe, piscina aquecida e jacuzzi, mesmo não utilizando nenhum desses itens. O hotel está localizado à 7 km de São João del Rei, do lado do aeroporto municipal e a 14km de Tiradentes.
 
Pousada Beco do Bispo - Localizado no centro histórico, oferece muito conforto e facilidades. Pode contar com internet, piscina, portaria 24 horas e frigobar abastecido sempre.
 
Villa Magnólia Pousada - Ao lado da Igreja de São Francisco de Assis e da Universidade Federal, esse antigo casarão oferece uma vista privilegiada e um maravilhoso café-da-manhã colonial.
 
 
A cidade dos famosos profetas de Aleijadinho. Vamos com um pouco mais de história: Nascido em Ouro Preto, Antônio Francisco Lisboa foi o maior expoente da arte barroca em toda a América. Não se sabe muito sobre sua vida pessoal além do fato de gostar da vida boêmia e não ter juntado uma fortuna considerável, mesmo com os pagamentos em ouro, mas muito é falado sobre as características físicas que deram à ele o apelido de Aleijadinho. Seu corpo foi se degenerando progressivamente, não se sabe se foi lepra, algum reumatismo deformante ou muitas outras possibilidades, mas o fato é que mesmo perdendo vários dedos das mãos e todos os dos pés, o que o levava a andar de joelhos, Aleijadinho continuou trabalhando, com a ajuda de seus escravos e com as ferramentas amarradas no que havia restado de suas mãos. Com sua aparência ficando cada vez mais desagradável, ele acabou se tornando uma pessoa muito desconfiada e achava que todos os elogios que faziam às suas obras era uma forma de ironia e que na verdade estavam o humilhando. Além de utilizar roupas folgadas e chapéus enormes, Aleijadinho passou a trabalhar apenas a noite e em lugares fechados para que não fosse visto, então muitas obras são associadas à ele devido ao estilo, mas nunca foram comprovadas como tal.
 
Clichê obrigatório: A própria Basílica do Senhor Bom Jesus Matosinhos, onde estão os 12 profetas e que foi construída a pedido do português Feliciano Mendes, que pagou a obra depois de ter se curado de uma doença contraída em um mina de ouro.
 
Outras atividades: Museus, museus e mais museus.
 
Onde comer: Restaurantes simples e com nomes curiosos.
 
Cova do Daniel -  Localizado na parte de baixo do Hotel Colonial, possui serviço a La carte para cerca de 100 pessoas. O tutu à mineira e o feijão tropeiro precisam ser provados.
 
Restaurante Tio Panga -  Em frente a prefeitura, muito fácil de encontrar. Comidinhas simpática. E convenhamos, Panga é uma palavra engraçada.
 
Salmos Lanches e Bell Freezer Lanchonete As duas são boas para beliscar alguma coisa entre um passeio e outro. No meio de tantas coisas religiosas até a lanchonete quis fazer sua homenagem. Já Bell Freezer...jamais saberemos o que o dono quis dizer. Se alguém souber, nos conte.
 
Onde ficar:
 
Hotel Colonial - Ao redor do hotel estão não menos do que 78 esculturas barrocas. Se hospedar lá é uma aula de história, queira você ou não.
 
Casarão da Pedra - Uma das pousadas mais charmosas de todo o roteiro. Você vai se sentir transportado para tempos passados ou para o set de alguma novela de época.
 
Max Mazza Hotel - Inicialmente concebido para abrigar executivos e outros trabalhadores que estavam de passagem, o hotel é simples e funcional. Perfeito para os minimalistas, que podem contar com tudo o que precisam e serviços bem práticos e dinâmicos.
 
 
A cidade com seus quase 70 mil habitantes possui algumas das igrejas mais importantes do barroco brasileiro e muitas repúblicas de estudantes. Aliás para planos futuros, o carnaval em Ouro Preto é simplesmente uma loucura e vale muito a pena para quem gosta de uma bagunça estudantil.
 
Clichê obrigatório: A Igreja da Nossa Senhora do Pilar é a segunda mais rica do Brasil com seus 434 quilos de ouro que adornam o altar (a mais rica é a Catedral Basílica de Salvador). A de São Francisco de Assis também é muito interessante, principalmente pelo efeito de ilusão de óptica do teto. Já a Antiga Cadeia, é hoje o Museu da Inconfidência, que possui peças como as supostas traves de madeiras utlizadas para enforcar Tiradentes, além dos túmulos de nove inconfidentes/conjurados.
 
Outras atividades: A famosa Mina do Chico Rei é um programa bem interessante. Dá para andar pelos 1500 metros de túneis onde os escravos trabalharam até a abolição da escravatura, em 1888.
 
Não vá ou vá, sei lá: A Estação Ecológica do Tripuí é sim muito bonita para um passeio mas a bizarrice está no fato de que ela foi criada para preservar o Peripatus acacioi, um animal invertebrado raro que é considerado um fóssil vivo. Entomólogos vão à loucura, maioria da população mundial não altera sua expressão a ler essa informação. Outros animais ameaçados de extinção podem ser vistos por lá como o macaco sauá e o pavó. É só andar os 392 hectares que com certeza você encontrará algum deles.
 
Onde comer: Tantas opções que é até difícil escolher. Por ser uma cidade universitária conta com os tradicionais botecos onde os alunos passam algumas horinhas, geralmente as de aula.
 
Restaurante Café Geraes Serve de tudo um pouco, pratos à la carte, sanduíches, cafés, vinhos, charutos, jóias..
 
Chalet dos Caldos Aproveitando o friozinho da cidade em junho, caldos e sopas com uma bela vista panorâmica da cidade combinam muito bem.
 
Espaço Gourmet Ottaviani Em frente ao antigo Bar do Beco está essa casa com ótimos pratos da culinária italiana.
 
Onde ficar:
 
Pousada do Mondego - A imponente construção  de 1747 abriga hoje uma pousada onde nenhum quarto é igual ao outro. Muito próximo de vários pontos turísticos.
 
Pousada Capricho Asturiano - Inspirada nas construções do mediterrâneo, a pousada conta também com uma típica taberna espanhola, perfeita para um jantar, um drinque ou os dois.
 
Pousada Sinhá Olímpia - Uma ótima combinação de uma hospedagem moderna com um toque colonial. Muito bem localizada e todos os quartos possuem um bela vista para as paisagens da Vila Rica.
 
 
Aqui está uma das maiores minas de ouro do mundo, sim você leu mundo! 
 
Clichê obrigatório: A Mina da Passagem é aberta a visitas e apesar das minas do estado terem sido exploradas até o último grão de ouro..quem sabe você não dá sorte e encontra uma pequena pepita, mesmo que falsa? O passeio começa em uma descida de 120 metros em um daqueles carrinhos malignos sobre trilhos. Em seguida é possível ver o grande vazio dos locais de onde foram retiradas 35 toneladas de ouro. Para terminar, a parte mais bonita é quando se chega ao lago submerso dentro da mina.
 
Outras atividades: Andar muito. É o melhor jeito de apreciar as charmosas ruas de paralelepípedo, as obras de arte espalhadas por toda parte, ver as igrejas e as praças. Cachoeiras muito bonitas também estão presentes nos arredores.
 
Onde comer: Fundamental para os andarilhos.
 
Lua Cheia - Um simpático casarão do século XIX ideal para aproveitar a choperia, clube do whisky, confraria do espumante  e a comida self service com churrasco.
 
Sinhá Olímpia - Porções fartas em uma casa simples. Comida mineira em sua mais pura definição.
 
Restaurante Cozinha Real - Ganhador do 1º Concurso de Gastronomia do Festival de Inverno da cidade com o seu prato Costela do Mestre, que vem acompanhado de linguiça, jiló, mandioca, taioba e arroz. Vá e delicie-se embalado pela MPB que toca ao vivo.
 
Onde ficar:
 
Pousada da Chácara - Apesar de mais parecer um hotel fazenda e proporcionar todos os confortos do campo, a pousada está localizada a apenas 800 metros do Centro Histórico.
 
Pousada da Serrinha - Ideal para os apaixonados pela natureza, um pouco ,mais afastada, mas nem tanto, a 6 km do Centro Histórico. Conta com pomar e horta orgânicos (embora em tese quase toda plantação pequena possa ser considerada orgânica). O café-da-manhã vem acompanhado de todas as delícias da cozinha mineira, mas não se preocupe ou empolgue, tutu de feijão só no almoço.
 
Pousada Fazenda Polyanna - Essa sim é uma imersão total no campo. Localizada a 35 km da zona urbana da cidade, a pousada disponibiliza chalés para até sete pessoas. Com a presença de animais de fazenda e lago para pesca, se hospedar aqui é viver por um tempo uma vida interiorana.
 
 
A cidade do Juscelino Kubitschek e da Chica da Silva, a escrava alforriada mais famosa da cidade e do Brasil, seja pelo seu dinheiro ou pelo medo do seu comportamento explosivo, é também a cidade dos boêmios, das serenatas feitas em bares e dos becos pra lá de sugestivos.
 
Clichê obrigatório: Conhecer as cachoeiras nos arredores da cidade, ver as casas do muxarabiê com estilo árabe, a Casa de Chica da Silva e o Museu do Diamante.
 
Atividades alternativas: Ver o Passadiço da Casa da Glória. São dois sobrados históricos ligados por uma passagem na parte superior. A passagem foi construída em 1878 quando as casas foram transformadas em um colégio bastante tradicional para meninas. A passagem servia para que as garotas e seus uniformes não ficassem transitando pela rua.
 
Onde comer: Para terminar bem, mais comida mineira!
 
Espaço B CaféDescendo ou rolando a estreita ladeira do centro é possível chegar nesse café, simples e muito charmoso com tudo de bom que um café colonial deve ter. Acrescente a isso o fato de o espaço ser também uma livraria e possuir várias cachaças mineiras para degustação.
 
Trattoria La Dolce Vita -  Massas e vinhos sempre são uma ótima pedida!
 
O Garimpeiro (Na Pousada do Garimpo)Bem localizada e com um dos chefes mais renomados quanto o assunto é claro, comida mineira.
 
Onde ficar:
 
Estância do Salitre - Para os que gostam do campo, muito verde, mas a pousada possui até uma mini-pseudo-praia!
 
Pousada da Seresta - Salas amplas e 32 quartos nesse casarão que possui além de toda a estrutura de uma hospedagem, um scotch bar e um cyber-place.
 
Pousada Caminho dos Escravos - Um nome alternativo para a famosa Estrada Real. Simples e aconchegante, localizada a apenas 50 metros do Mercado Velho.
 
Além de todos os passeios culturais nessas cidades, ainda existem muitas outras vantagens, por exemplo, crianças podem ser deixadas soltas porque a cidade é bem segura, mulheres irão delirar com as compras e homens vão ficar mais do que felizes e satisfeitos com a quantidade de barzinhos perto das lojas onde eles podem tomar uma cerveja enquanto esperam as mulheres voltarem com várias sacolas perguntando histéricas: "Mas aonde estão as crianças?" Andar de carro dentro da cidade nem sempre é uma boa ideia, as ruas íngremes e feitas de pedra não são muito gentis com a parte de baixo do carro, além de ser muito difícil encontrar um lugar para estacionar. Aproveite o passeio para compensar todas as aulas de step que você faltou.
 
E se o tempo estiver bom e você pensar: "uma praia iria cair bem" força e quatro horas de estrada te levam ao não menos histórico, Rio de Janeiro.
 
GOSTOU? CURTA A PÁGINA DO Lugares no Mundo NO FACEBOOK E FIQUE SEMPRE POR DENTRO DA CULTURA DE VIAGEM.
CRÉDITO DAS FOTOS: DIVULGAÇÃO

Créditos: Cidades Históricas, Minas Gerais

Última atualização em 13/10/2012 as 20h44

Lugares no

esportes, praia, noite

Avaliações

Dê a sua opinião.

2 votos

Galerias.

Confira esta seleção de matérias e destinos com imagens incríveis.

Ver todos